Graça Guardia

Textos


MAR DESERTO
 
Ouvi dizer que odeio a todos...
Talvez quem disse esteja certo
Ou estejamos todos doidos
Por vivermos num “deserto”.
 
Cada grão de areia faz parte
Das mazelas que alimento
Até que minh’alma as descarte
E encontre o bem que acalento.
 
O deserto já foi mar revolto,
De conchas e peixes, pleno,
Sem profundas dores por dreno.
 
Deserto, quando mar de novo,
Tornarei o trajeto ameno
Vibrando o amor que hoje alieno...
 
 
Graça Guardia
26.09.2016
 
Graça Guardia
Enviado por Graça Guardia em 17/01/2017
Alterado em 17/01/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras